Go to Top
studiolaser@studiolaser.com.br
14 3401-6060

Variação de registro

O que é a variação de registro na Impressão Flexográfica?

A variação do registro de impressão é o desalinhamento entre duas ou mais cores, onde o efeito pode ser a ilegibilidade de um texto ou uma imagem.

Abaixo exemplos com variação de 0,02mm entre cores.
variacao-01E por que ocorre a variação de registro?

• Colagem de clichês descentralizados (colagem torta);
• Excentricidade dos cilindros porta clichês;
• Desbalanceamento dos cilindros porta clichês;
• Jogo de camisas ou cilindro com variação de diâmetro;
• Rolos passantes desalinhados;
• Rolo Puxador está solto ou desbalanceado;
• Diferença de fornecedor de duplas face (Utilização de mais de um modelo de fita);
• Reposição parcial do jogo de clichês.

Para os casos de clichês novos x clichês antigos, por que isso ocorre?

Durante o processo de impressão, o clichê sofre com a absorção de solventes e com o atrito do cilindro Anilox e do Substrato. Dependendo da tiragem, da formulação do solvente e até mesmo do substrato, a perda da massa do fotopolímero poderá ser maior, reduzindo a espessura original do clichê.

Veja o exemplo abaixo;
variacao-02
O texto é impresso em duas cores (laranja e marrom), utilizando o clichê de 1,14. Após uma longa tiragem a placa do laranja estragou, sendo necessário a sua reposição. A mesma foi reposta e o trabalho entrou em máquina novamente, mas o registro não bateu.

Isso ocorre devido ao desgaste das outras cores, as chapas de 1.14 já estavam com 1,09mm, existe uma diferença periférica de 0,157mm, ocasionando um desencaixe entre as imagens.

Obs.: Neste caso quando já existe um grande desgaste do clichê é recomendado a reposição de todas as cores.

Considerações dos fornecedores das chapas de fotopolímero:

Matéria Prima

A espessura uniforme é uma das qualidades importantes em uma chapa para impressão Flexográfica.  As chapas são fabricadas sob rigorosas especificações de espessura de modo a garantir um desempenho de impressão de alta qualidade.
Para chapas finas (2.84mm ou menos), a tolerância na uniformidade de uma chapa para outra é de 0.025mm para mais ou para menos e a tolerância na uniformidade em uma mesma chapa é de 0.012mm.

Para chapas grossas (4 mm e acima), a tolerância na uniformidade de uma chapa para outra é de 0.045 mm de espessura e em uma mesma chapa é de 0.025mm.

Um micrômetro digital pode ser utilizado para medir a uniformidade de espessura de uma chapa não processada, e também após o seu processamento.

Tolerância para os Solventes de Impressão:

A recomendação para “inchamento” das chapas com os solventes de impressão é de até 0.10mm e pode ter sua dureza diminuída em até 5 shoreA durante a impressão, ou seja uma chapa de 1.14mm pode subir de espessura em até  1.24mm  durante a impressão e amolecer de 76 shoreA para 71 shoreA.

Durante a impressão o clichê absorve solvente e pode inchar até as tolerâncias mencionadas acima, valores acima destas tolerâncias podem fazer com que a chapa se desgaste rapidamente.

Caso o solvente seja muito agressivo a chapa pode mostrar valores superiores aos mencionados, e após a impressão em um período de descanso, ela pode perder massa na evaporação deste solvente.

Para aceitação da espessura final após a impressão de uma produção, vale os valores de tolerância da matéria prima, ou seja 1.14mm pode voltar em até 1.128mm.

Quer saber mais, ainda tem dúvidas? Mande seu email para studiolaser@studiolaser.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *